» A Empresa » Prêmios e Certificados


Empresas da Construção, Engenheiros, Arquitetos, Corretores e Comerciantes das áreas de construção civil imobiliária se uniram para criar a Associação VIVA Vila Velha, com o objetivo de buscar alternativas que contribuam para o desenvolvimento sustentável do setor imobiliário no município.

Visando desde a promoção de eventos e proposta inovadora até o aperfeiçoamento tecnológico e a formação profissional para suprir a escassez de mão de obra na construção civil, a Associação criada em Fevereiro, começou suas atividades participando da comissão municipal que preparou a 5ª Conferencia das Cidades, cujo tema é? Quem Muda a Cidade somos nós: REFORMA URBANA JÁ!  Em Vila Velha, ela será realizada nos dias 10 e 11 de Maio. O presidente da entidade e engenheiro Mauricio Ceotto, foi o único representante da área imobiliária que integrou o comitê, cuja função foi preparar a programação e mobilizar a sociedade para defender suas propostas no evento.

A Conferência é uma determinação do Ministério das Cidades a todos os municípios brasileiros, tendo edições em níveis municipais, estaduais e federal para organizar, definir estratégias e ordenar o desenvolvimento sustentável das regiões com a participação popular. Neste ano, foram eleitos como tema: ocupação de risco, saneamento ambiental, regularização fundiária, conflito fundiário, mobilidade urbana e habitação para população de renda de até 03 salários. Para Ceotto, as propostas serão levadas para a conferência estadual e, depois, nacional que será realizada de 20 a 24 de Novembro de 2013 em Brasília.

O VIVA Vila Velha também tem projetos próprios a serem realizados em parceria com outras instituições. Um deles está sendo elaborado com a UVV e tem foco social: a regularização fundiária e a assistência técnica gratuita de Arquitetura e Engenharia em construções feitas pela população de baixa renda. “A UVV tinha a proposta de assistência técnica, e nós sugerimos agregar a regularização fundiária. Esses são os dois grandes problemas no município, onde 85% dos imóveis estão em terrenos irregulares em 75 bairros”, afirma Ceotto. Ele acrescenta que “as construções de edifícios em Vila Velha são muito criticadas, mas também existe uma predominância de loteamentos clandestinos sem infraestrutura e documentação obrigatórias que são problemáticos e precisam de soluções”. 

Outro projeto, que também deverá ser apresentado à Prefeitura de, é relativo ás Inspeções prediais, cujo objetivo é a vistoria preventiva contra acidentes, desabamento e incêndios em imóveis de Vila Velha. O objetivo é reforçar a segurança das pessoas que utilizam esses imóveis, evitando problemas como o incêndio ocorrido em boate na cidade de Santa Maria (RS). “Como o poder publico não tem profissionais suficientes para fazer as inspeções, a VIVA Vila Velha deverá propor que técnicos qualificados da Associação façam este trabalho como prestadores de serviço em condomínios e construções”, ressalta Mauricio Ceotto.

Artigo: Revista Atualidade 04- Ano III - Nº 14 / 2013

www.direitoeatualidade.com.br


Feliz Natal!
ar2
Webmail Compartilhar no Twitter Compartilhar no Facebook Resultados no Bing Resultados no Google RSS Feeds